Buscar
  • fredericopereira191

3 lições de Vingadores Ultimato para seus investimentos


3 lições de Vingadores Ultimato para seus investimentos

No dia 25 de abril de 2019, o último filme da saga “Vingadores” chegou aos cinemas brasileiros, 80% de todas as salas foram ocupadas por esse único filme e permaneceu assim por vários dias.


Mesmo com essa quantidade enorme de assentos disponíveis, o que se viu nos dias seguintes foi, para dizer o mínimo, impressionante!


Para resumir em poucas palavras: as pessoas saíam de 3 horas de filme às 11 da noite e se deparavam com filas enormes para as sessões que entrariam pela madrugada.


Sucesso incontestável, o filme está na disputa para ter uma das maiores bilheterias da história do cinema mundial, mas não é para falar sobre ele que nós estamos aqui. Há pelo menos 3 lições de Vingadores Ultimato para seus investimentos, vamos conhecê-las.


Duas lições são teóricas, consistem em aprendizados que precisamos utilizar para refletir sobre nossos investimentos, a fim de planejá-los da melhor forma; a terceira lição é mais prática, é de momento, acredito que seja fundamento de uma oportunidade. Vamos a elas.


1 – Não tente inventar a roda, se ela existe, faça-a girar!



Stan Lee: lançou sua história na década de 60

Essa história dos Vingadores é tão velha quanto meus pais, a primeira publicação é de 1963!


Mais ou menos na mesma época que surgia o X-Men, outros “super-heróis” que costumam gerar excelentes lucros cinematográficos.


Na verdade, se você gosta de filmes novos e antigos, já percebeu a capacidade que a indústria cinematográfica tem de utilizar essas histórias de décadas passadas e reutiliza-las para lançar novos produtos que vendem cada vez mais.


Perceba que essa é uma ideia interessante e poderosa, se a história fez sucesso no passado, provavelmente fará sucesso novamente, essas empresas sabem aproveitar essa dinâmica.


Nos investimentos isso costuma se repetir, aquilo que deu certo no passado, costuma continuar dando certo. Nós podemos perceber isso em dois espectros diferentes:


a. Na análise de ativos (empresas e fundos de investimento): aqueles que já vem sendo prósperos e lucrativos, tendem a continuar sendo; aquelas que não são, tendem a continuar não sendo.


b. As filosofias e estratégias de investimento que deram resultados interessantes nas últimas décadas ou séculos, devem continuar a dar certo no futuro, assim como o que deu errado no passado, deve continuar dando errado no futuro.


O primeiro ponto implica que, quando estivermos analisando investir em empresas e fundos de investimento, precisamos estar atentos ao histórico dos últimos 5 ou 10 anos, os melhores serão aqueles que apresentam resultados positivos com consistência.


O segundo ponto implica que não adianta a gente querer inventar novas formas de fazer investimento, se já existem filosofias e estratégias comprovadas sob o teste do tempo, melhor utilizar as bem sucedidas, “fazer a roda girar”.


Então, a lição é: quando for investir, analise o passado, aprenda e invista!


2 – Pense no longo prazo



Todos os filmes conectados com a história, atores contratados de uma vez só para vários filmes

O filme “Vingadores Ultimato” é o 22º filme do “Universo Cinematográfico Marvel”, a franquia de maior bilheteria de todos os tempos. O primeiro filme, “Homem de Ferro”, começou a ser produzido em 2007, 12 anos atrás, e foi lançado em 2008, 11 anos atrás.


De lá pra cá, foram 20 filmes diferentes com diversos atores e profissionais envolvidos, a maioria deles com contratos para atuar em numerosos filmes, até os que ainda não foram lançados.


Perceba a “beleza” do negócio, os caras começaram um negócio de longo prazo, para produzir diversos filmes, com um elenco gigantesco e desde o início contrataram e planejaram baseados numa sequência grande de filmes. Isso é ter visão de longo prazo.


Esse mesmo pensamento de longo prazo é necessário em nossos investimentos. Se quisermos construir algo realmente significativo, precisamos utilizar o fator tempo ao nosso favor, o que implica em pensar em longo prazo.


Por mais que a oferta de estratégias de investimento de curto prazo sejam abundantes e constantes, como os cantos das sereias da Odisseia, nós precisamos lembrar que as filosofias e estratégias de investimento, que realmente construíram fortunas ao longo das últimas décadas, tem como fator crucial o pensamento de longo prazo.


Precisamos lembrar que a maneira menos arriscada de acumular dinheiro suficiente para se aposentar rico é aproveitar o poder dos juros compostos e, sem medo de errar: não tem como aproveitar juros compostos sem “dar tempo ao tempo”.


Então a lição é: quando for investir, pense em prazos longos como os produtores de Vingadores Ultimato, pense em construir algo significativo, pense em longo prazo!


Com a sua licença


Essas foram as duas lições teóricas, falando sobre teoria, filosofia e estratégias de investimento, reuni o meu conhecimento sobre isso e mercado financeiro em um livro, a fim de proporcionar a qualquer investidor iniciante, ou inseguro, as ferramentas para ser um investidor consciente e promissor. Clique na imagem abaixo para conhecer, comprar e ler.




3 – “Shopping”: nos EUA é uma coisa, no Brasil é outra!


Se você pesquisar pelo preço das ações de empresas que possuem shoppings centers na bolsa de valores brasileira, verá que os preços estão muito abaixo do que alguns anos atrás.


Além da crise econômica pela qual estamos passando, um segundo forte motivo para isso é que o negócio de shoppings centers está sendo questionado nos EUA, muitos estão fechando, atribui-se esse fenômeno ao avanço do comércio online.


Isso faz com que muitos investidores nacionais e, principalmente, internacionais não se interessem por esses negócios, entendendo que com o avanço das compras pela internet, os shoppings centers passem a ser um negócio de poucos lucros ou pouco crescimento.


Eu até concordo com a questão do crescimento, é bem provável que não vejamos uma expansão forte do número de shoppings centers por algum tempo, mas na questão dos lucros não: Vingadoras Ultimato está aí para provar o contrário.


Comecemos pelo fluxo de pessoas, se 80% das salas de cinema do país estavam passando esse filme e, por mais incrível que pareça, ainda tinha fila pra entrar, você deve conseguir imaginar a quantidade enorme de pessoas que foram aos shoppings por causa desse filme.


Quanto mais pessoas vão aos shoppings, mais dinheiro vai circular por lá, certo? Vejamos:


- chegamos no cinema de carro (muita gente vai de carro), pagamos estacionamento;


- entramos no shopping, se tiver cônjuge, filhos ou amigos com dinheiro pra gastar, quase certo de não sair sem nada na mão, são várias lojas, várias vitrines e etc;


- a grande maioria das pessoas estará comendo ou bebendo alguma coisa, o próprio cinema é posto ao lado da praça de alimentação justamente por isso, é muito provável que compremos o lanche;


- aqueles que não lancham durante o filme, fazem alguma refeição antes ou depois, tenho vários amigos que fazem isso;


- no meu caso, consigo resistir à praça de alimentação, mas a pipoca com refrigerante da gurizada não pode faltar, é lei, afinal de contas eu não fui no cinema pra eles ficarem chateados por causa de uma pipoca com refri;


Ou seja, as pessoas não vão só assistir o filme, que é a oferta de entretenimento, elas vão pegar a oferta da alimentação também e várias também comprarão alguma coisa, um presente, um remédio, qualquer coisa, o ambiente todo é projetado para convencer as pessoas a comprar.


A lição é: no Brasil o shopping não é um outlet como nos EUA, eles não ficam fora da cidade ou em regiões da periferia, eles não foram projetados e construídos apenas para o varejo de roupas e utensílios. Muito pelo contrário, é um local de entretenimento, é um local de lazer com segurança.


Mais importante ainda, não se constrói um shopping center de um dia para o outro, aqueles que já foram construídos estão bem localizados, nas regiões mais urbanizadas das cidades.


Não é preciso nem refletir muito sobre isso para assimilar a realidade, basta ir a um shopping de uma capital brasileira, não só estão sempre movimentados, como de quinta a domingo criam problemas no trânsito, é ruim para achar vaga nos estacionamentos e as praças de alimentação ficam cheias.


Enfim, um filme como Vingadores Ultimato prova esse ponto, independente do avanço das compras online, os shoppings centers brasileiros tem um negócio que pode ser bem lucrativo, eles têm uma vantagem de localização e estrutura na oferta de lazer e segurança.


3 lições de Vingadores Ultimato para seus investimentos


Essas foram as 3 lições que tirei do lançamento desse filme que já é, enquanto escrevo, dono da segunda maior bilheteria da história do cinema mundial.


Acompanhe meus textos no blog e nas redes sociais. Continuarei gerando conteúdo que nos ajude a melhorar nossa educação financeira, que nos proporcione as ferramentas necessárias para acumular dinheiro e nos ajude a ser investidores inteligentes.


Antes de terminar, aproveito para me colocar a disposição para te ajudar com seus investimentos, entre em contato comigo, clique aqui ou comente.


Muito obrigado por ler meu texto e boa sorte!

52 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com