Buscar
  • fredericopereira191

Howard Marks e os juros negativos


Howard Marks, um dos investidores mais respeitados atualmente

Um dos textos mais aguardados da comunidade financeira internacional é o memorando desse indivíduo da imagem acima, que é um dos investidores mais respeitados atualmente. O último foi sobre o novo paradigma de pagar para guardar dinheiro, por isso chamei esse texto de: Howard Marks e os juros negativos.


O memorando é muito extenso, mas pode ser encontrado aqui: Mysterious (só clicar nesse nome no quadro do lado direito, tem um ícone de "pdf" bem, fácil de encontrar). Então escolhi alguns trechos, que considerei mais relevantes, para colocar aqui. Acredito que isso ajudará você a refletir sobre essa novidade assustadora e a aprender mais sobre o mercado financeiro internacional. Boa leitura.



Razão para taxas negativas


·- O óbvio: os bancos centrais da Europa e do Japão com taxas negativas para estimular suas economias. (Eles querem fornecer mais estímulos do que levar as taxas a zero, já que isso não foi o suficiente);


- “... os bancos centrais ao redor do mundo estão corrento para reduzir suas taxas de juros no esforço de permanecer à frente do FED e suportar suas economias enfraquecendo suas moedas” (WSJ, 12 de agosto).


- O QE em andamento - a compra de títulos pelos bancos centrais - está aumentando os preços dos títulos de longo prazo, jogando seus rendimentos em território negativo.


- QE é os bancos centrais inundando o mercado financeiro com dinheiro que precisa ser investido. Como os devedores não tem muita demanda para capital de longo prazo, eles não pagam por isso. Assim, os credores tem que pagar uma pequena taxa para armazenar esse dinheiro.


- Os investidores medrosos tem pouco interesse em fazer investimentos de risco nas empresas e economia de seus países. Eles certamente não querem fazer esse tipo de investimento.


- A atual fraqueza econômica reforça o pessimismo dos investidores. O medo de que essa fraqueza aumente reforça a busca por segurança.


- Há tanto dinheiro no sistema, que o excesso da oferta sobre a demanda reduz o preço do dinheiro - taxas de empréstimos - para o território negativo. “Na economia global hoje, a demanda por investimento privado é claramente incapaz de absorver a poupança privada... (Lawrence Summers, Financial Times, 12 de outubro)”.


- Tendências demográficas desfavoráveis significam que os bancos não podem manter taxas positivas sem conter o crescimento.


- A falta de inflação significa que os investidores não precisam exigir proteção contra a perda de poder de compra ao longo do tempo. As maravilhas da tecnologia devem continuar fazendo produtos baratos ou grátis, limitando a inflação.


- O medo de deflação aumenta ainda mais a vontade de investir sem essa proteção.


- “O aumento dos negócios de produtos intangíveis tornou a economia menos intensiva em capital...” disse o Observatório de Taxas de Juros em 26 de julho. Isso reduz a demanda por empréstimos de longo prazo.


- Certos regulamentos exigem que as instituições financeiras invistam em títulos de seu país de origem, independentemente do rendimento que eles oferecem (e se é positivo). Isso eleva artificialmente a demanda por (e, portanto, seus preços) esses títulos.


Fred: o último é particularmente importante, garante a demanda pelos títulos, mesmo que eles tenham taxas negativas. Europa e Japão com economias estagnadas são o foco do "problema".


Tabela com países e títulos negativos. Já são mais de 1/3 das emissões mundiais.

Impactos das taxas negativas


- Taxas negativas tornam a vida mais difícil. Muitos investidores não querem aceitar as taxas negativas. Isso torna os investidores de risco mais aceitáveis, mesmo que os retornos de longo prazo sejam relativamente menores. Dessa maneira, a aversão a risco diminui. “Eu não tenho escolha a não ser entrar em ativos de risco, porque não aceito retornos negativos nos ativos seguros”.


- Taxas negativas põe pressão nas pessoas, como a aposentadoria, que vivem da renda de seus investimentos.

- É importante ressaltar que os sinais negativos das taxas negativas podem significar que elas tem um efeito contracionista e não estimulante.

- Se as taxas de juros para pequenos poupadores ficarem negativas, daria origem a uma situação em que os poupadores são multados e as elites sendo beneficiadas pela sua capacidade de lucrar com o aumento do preço das ações. Impacto econômico à parte, o impulso à políticas populistas seria dramático.

- Taxas negativas podem distorcer o cálculo dos valores presentes descontados, quando a taxa de desconto negativa, o valor presente do valor das obrigações futuras com pensões podem exceder o valor futuro. A combinação de obrigações com altos descontos e baixos rendimentos pode ser desastrosa para os fundos de pensão.

- E a aplicação de taxas negativas sobre títulos corporativos? Como os mercado avaliarão os negócios que tem dinheiro daqueles que estão endividados? Tradicionalmente, mercados penalizam as companhias altamente endividadas e recompensam aquelas que tem muito caixa. Mas se as dívidas se tornarem uma fonte de renda, as companhias alavancadas serão consideradas mais dignas de crédito? Por outro lado, como o mercado avaliará os negócios que mantém dinheiro em caixa num ambiente em que eles precisarão pagar aos bancos por isso?


Veremos taxas negativas nos EUA?


Se dependesse desse cara aí, as taxas já estavam negativas ... kkkkkk

Se eu tivesse que apostar - isso é tudo que posso fazer - eu diria que as taxas não serão negativas nos EUA no ciclo atual. Se voltarmos aos possíveis motivos listados na página 4, acho que podemos concluir que os fatores em jogo nos EUA tornam as taxas negativas menos prováveis:


· Crescimento econômico atualmente forte;

· Melhores perspectivas de crescimento;

· Não precisa de medidas de emergência;

· Expectativa de inflação mais altas (especialmente devido ao aperto da oferta de mão-de-obra);

· Menos pessimismo;

· Melhores usos para capital de longo prazo.

Em particular, eu me pergunto sobre estímulos monetários. A taxa dos fundos federais está abaixo de 2% enquanto escrevo, graças aos dois recentes cortes das taxas (e pode haver outro corte em breve). No entanto, a maioria dos programas de estímulo acarretam em mais cortes nas taxas, totalizando vários por cento. Então há a possibilidade de que no futuro, a resposta do FED à fraqueza econômica possa levar as taxas de juros a um território negativo.


A atual desaceleração do setor manufatureiro nos EUA - mais as incertezas causadas pela guerra comercial com a China - aumenta a possibilidade de uma recessão, e portanto, a necessidade de mais estímulos com cortes de taxas.


Alguns argumentam que a forte demanda por ativos seguros e as tendências demográficas negativas também se aplicam aos EUA, e portanto, o rendimento dos títulos dos EUA também podem ir abaixo de zero.


Finalmente, taxas negativas fortalecem a busca por dólares, com estrangeiros podendo investir em taxas positivas nos EUA, fazendo com que o dólar se valorize. Assim, o FED pode ter que baixar as taxas de juros para que o custo das exportações não suba demais, fazendo com que a competitividade diminua e nossa economia enfraqueça. Quanto tempo o FED pode manter taxas mais altas do que o resto do mundo?


Howard Marks e os juros negativos


Foi isso, no fim o Marks encerra destacando que as taxas de juros negativos tornam a tarefa de procurar ativos de qualidade ainda mais importante, pois o tempo de ganhar dinheiro simplesmente guardando parecem ter ficado pra trás.


Acho que vale muito a pena ler Howard Marks, pretendo continuar postando alguns trechos aqui, a fim de que mais pessoas tenham acesso a esse conhecimento, mas também ficaria feliz se esses textos lhe estimulassem a procurar mais conhecimentos sobre investimentos em valor.


Muito obrigado por ler e boa sorte!



10 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com