Buscar
  • fredericopereira191

Meus 3 motivos para comprar ações de Brasil Agro


Você pode ser sócio dessa empresa do agronegócio brasileiro.

Antes de irmos aos meus 3 motivos para comprar ações de Brasil Agro, vamos fazer uma pequena introdução da empresa.


A Brasil Agro é uma empresa que atua no agronegócio brasileiro, sua atividade pioneira é comprar grandes propriedades rurais subutilizadas ou pouco produtivas, empreender uma série de ações para torna-las propriedades de alta produtividade, com as melhores técnicas da atualidade, e depois vender essas propriedades.


No processo, a empresa obtém receitas tanto nessa atividade de compra e venda, quanto na atividade produtiva desenvolvida, o que faz com que também seja uma empresa de produção agrícola.


A Brasil Agro, atualmente, possui 266.772 hectares de terra, dos quais 102.854 foram cultivados na safra 2017/2018. O portfólio está espalhado no Paraguai e em 7 Estados brasileiros (MA, PI, BA, MG, GO, MT e MS), sendo que o Mix de Produtos é cana-de açúcar, algodão, soja, milho e pecuária. O que nos permite observar a diversificação de clima e culturas que a empresa dispõe.


Além de ter ainda 33% da terra cultivável a ser desenvolvida, a empresa tem um histórico comprovado de boas negociações, com taxas de retorno de 14 a 27%. O que, aliado a capacidade de gerar lucros na produção, nos permite esperar que a empresa continue desenvolvendo bem as suas atividades.


Por fim, o código da ação é AGRO3 e ela negocia na bolsa hoje a R$ 15,65 por ação. Dito isso, vamos aos meus 3 motivos para comprar ações de Brasil Agro.


Aviso importante 1: esse texto não é uma recomendação de compra, é uma reflexão pessoal sobre a empresa, estou dizendo por que eu compro as ações. Quaisquer resultados positivos ou negativos advindos da negociação dessa ou de quaisquer outras ações são de responsabilidade do próprio investidor.


Aviso importante 2: quando eu compro ações de empresas, faço isso pensando em longo prazo, em mais de 5 anos, em décadas. Faço isso pensando em uma carteira de ações que tem entre 10 e 20 ações diferentes. O que significa que nenhuma delas representa mais de 10% do valor total.


1 – O Brasil é o novo celeiro do mundo



Clima, área e estabilidade necessárias, só o Brasil tem, pode procurar aí no mapa.

Nos últimos séculos a população mundial vem mudando seus hábitos de forma significativa, à medida que a influencia inglesa e, depois, norte americana foi se expandindo, as pessoas ao redor do mundo foram mudando a alimentação, as vestimentas, entre outras coisas.


Nesse processo os EUA se consolidaram como o celeiro do mundo, pra qualquer lugar que você for no planeta, perceberá que as pessoas passaram a comer mais trigo, mais milho, mais churrasco de boi, frango ou porco.


Isso não aconteceu só porque os norte americanos são mais produtivos, mas principalmente porque tem vasta área cultivável, relativa estabilidade climática e, principalmente, estabilidade política.


Mas a população mundial cresceu e continua crescendo, além disso, as pessoas estão vivendo muito mais, então novas áreas de cultivo precisam ser abertas, o que faz com que o mundo procure outro local com características semelhantes.


Aqui entra o Brasil, nós temos área cultivável a ser expandida, nós temos um setor agrícola forte e pujante, nós começamos a ter estabilidade política (dois impedimentos sem ruptura política é sinal disso) e nós temos mais estabilidade climática.


Ou seja, o agronegócio é, e tem tudo para continuar a ser, uma parte importantíssima da economia nacional; e nessa área nosso potencial é enorme.


Isso me faz lembrar uma entrevista que Jim Rogers, lendário gestor sócio de George Soros, quando veio ao Brasil alguns anos atrás.


Ele se mudou para Singapura pra criar os filhos na Ásia, onde acredita que estará o centro financeiro-econômico no mundo nos próximos séculos. Perguntado como o Brasil estaria nesse futuro, respondeu que o Brasil deve ser o celeiro do mundo.


Então perguntaram a ele sobre seus investimentos em alimentos, que ele vinha reforçando em diversas entrevistas, aproveitaram para indagar porque ele não investia no Brasil se ele acreditava que investir em alimentos. Ele respondeu que, como estrangeiro, não tinha segurança jurídica para investir no Brasil.


Bom, agora ele tem mais segurança, ele pode comprar ações de Brasil Agro tanto na bolsa brasileira (B3), quanto na norte americana (NYSE).


Perceba, meu motivo é participar de um dos principais setores da economia nacional, participar de um ramo de negócios lucrativo e resiliente, que não só deve ter demanda crescente, como exporta e recebe em dólares.


Mas você deve estar pensando nas inúmeras dificuldades que o setor vem enfrentando nas últimas décadas, no fato de que o Brasil já devia estar se aproveitando dessas vantagens para se consolidar como celeiro do mundo.


Isso é o que me leva ao segundo motivo.


2 – A nova visão do governo


As ideias melhoraram muito, a mudança é significativa!

Nas últimas décadas, nós tivemos governos brasileiros que não atuaram para consolidar a posição do Brasil como celeiro do mundo, pelo contrário, trabalharam contra.


Por mais louco que possa parecer a uma mente sadia, pode-se perceber como o governo prejudicava o setor com a seguinte lista de fatos:


- o próprio governo financiava as atividades de invasores de terras;


- tentava aumentar impostos sobre o setor agrícola;


- financiava grupos empresariais específicos em detrimento do resto dos agricultores;


- não investia na infraestrutura nacional necessária para aumentar a competitividade das nossas exportações;


- em vez de estreitar laços com países com grande potencial de consumo dos nossos produtos agrícolas, o governo vinha agindo de maneira contrária, se aliando a líderes mal vistos pela comunidade internacional.


Não só não atuava no sentido de fomentar as ações necessárias para o crescimento e desenvolvimento do agronegócio brasileiro, como atuava contra este.


Felizmente, a situação parece ter se invertido com a eleição de 2018. O novo governo se aliou aos agricultores para conseguir a eleição e vem empreendendo ações em sentido contrário às dos governos anteriores. Por exemplo:


- já anunciou que não teremos aumento de impostos;


- cortou financiamento para entidades de invasores de terras;


- está reestruturando os bancos de fomento para não haver privilégio na concessão de créditos;


- está empreendendo ações diplomáticas em busca de estreitar laços com os países da OCDE.


Se, além disso, conseguir reequilibrar as contas públicas e investir na infraestrutura nacional, a fim de aumentar a competitividade de nossos produtos agrícolas, o que deve se esperar da equipe econômica que assumiu, vai ser excelente para o agronegócio brasileiro.


Acredito que isso acontecerá, acredito que a mudança no governo foi profunda e que a equipe que assumiu tem uma visão de mundo muito mais interessante para a nosso futuro econômico.


Pois penso que a qualidade das pessoas é capaz de mudar o destino de uma casa, de uma empresa, de um governo e de um país, pois no fim das contas, essas “coisas” são feitas de pessoas, elas tendem a refletir o que as pessoas acreditam.


Só isso já seria motivo para comprar ações de empresas envolvidas no agronegócio, mas não temos muitas opções e, quando vamos comprar ações para o longo prazo, precisamos aproveitar momentos em que elas ficam baratas, seja por problemas internos ou questões macroeconômicas.


Isso me leva ao próximo motivo, pois estamos em um momento único.


3 – A gripe suína na China e as consequências no agronegócio mundial


Eles terão que comprar muita carne, já estão fazendo isso.


Você já deve ter ouvido falar que uma gripe suína dizimou 1/3 dos porcos na China, se não, clique neste link.


A primeira reação nos mercados mundiais foi a subida forte do preço das ações de empresas frigoríficas, já que os chineses terão que comprar carne de porco e de frango para suprir a demanda da população.


Aqui no Brasil, as ações de JBS (JBSS3), Brasil Foods (BRFS3), Marfrig (MRFG3) e Minerva (BEEF3) subiram muito. Isso acontece porque a demanda pelos produtos dessas empresas, as carnes, está subindo bastante e quando a demanda excede a oferta, o preço sobe, o que deve levar essas empresas a lucrar mais.


Esse é a primeira consequência da gripe suína para o agronegócio e quem comprou essas ações logo que esse problema começou, ou quem já tinha as ações dessas empresas pelas boas perspectivas de aumento de exportação por causa do novo governo, pôde aproveitar essa consequência.


Mas quando a demanda excede a oferta e os preços sobem, uma segunda consequência costuma surgir no mercado, os investimentos para a produção das mercadorias sobem, isso acontece à medida que empresários investem para tentar aproveitar os preços altos.


Neste caso, como o preço das carnes subiu demais, é de se esperar, e já está acontecendo, que os investimentos na criação de porcos e frangos aumente bastante, a fim de atender à demanda chinesa e aproveitar os altos preços no mercado. O bom nessa história é que o mercado costuma exagerar.


Os investimentos provavelmente serão ainda maiores do que o necessário, uma reação natural do sistema, e a quantidade de animais que serão gerados para suprir essa demanda será enorme, o que nos leva a pensar que a demanda pelos produtos que são necessários para a criação desses animais também deve aumentar muito.


Trazendo para a empresa que estamos analisando, a demanda por seus produtos agrícolas que alimentam esses animais, soja e milho, aumentará muito nos próximos anos, tanto garantindo uma demanda crescente, quanto podendo resultar em aumento nos preços.


Acredito que isso seja muito bom para o agronegócio brasileiro e, consequentemente, para a Brasil Agro.


Conclusão


Esses são meus 3 motivos para comprar ações de Brasil Agro, que negociam sob o código AGRO3 na bolsa de valores.


Mas não poderia terminar esse texto sem mencionar os problemas e lhe oferecer algo.


Assim como o texto não é uma recomendação, eu não sou um previsor do futuro; então eu posso estar errado, problemas podem acontecer e o negócio não ser tão bom. Entre os pontos de dificuldade, poderia facilmente mencionar:


- infraestrutura e contas públicas brasileiras em sérias dificuldades podem continuar sendo um “calo” na competitividade dos nossos produtos agrícolas;


- governo pode ter uma “guinada” totalitária ou não conseguir implantar suas medidas por não conseguir articular no Congresso;


- a empresa pode não aproveitar a oportunidade para ser mais rentável e continuar tendo resultados não consistentes.


Ou seja, há desafios a serem enfrentados, mas minha visão positiva se baseia na superação desses desafios e na possibilidade de comprar uma ação que está negociando a P/VP de 1,00 (vale no mercado o mesmo que o patrimônio líquido) e a P/L de 5,20 (retorna em lucros o preço pago em 5 anos), isso é barato se acreditarmos em um futuro promissor.


Por fim, mas não menos importante, quando se faz investimento no mercado financeiro é preciso ter uma visão macro, entender como tudo funciona e como grandes investidores fizeram dinheiro ao longo das últimas décadas.


Por isso recomendo que você leia meu livro, clique na imagem abaixo, conheça, compre e aproveite o conhecimento.





Muito obrigado por ler meu texto, um abraço e boa sorte!

29 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com