Buscar
  • fredericopereira191

Michael Marcus: a sorte nunca bate duas vezes


Michael Marcus: de US$ 30 mil para US$ 80 milhões. Vale a leitura neh?

Esse é o primeiro de uma série de textos em que vou postar trechos de entrevistas do livro "Magos do Mercado", de Jack D. Schwager; leitura que considero indispensável para quem quer fazer trades no mercado financeiro.


O objetivo é estimular a busca por conhecimento nesse mercado que é gigantesco lá fora e está apenas se desenvolvendo no Brasil. Espero contribuir para que mais pessoas acessem e tenham sucesso na bolsa de valores.


O livro consiste em entrevistas com alguns dos maiores traders do mercado norte-americano até começo da década de 90.



No texto de hoje temos Michael Marcus, um cara que ficou famoso por, supostamente, transformar uma conta de US$ 30 mil em, incríveis, US$ 80 milhões.


Selecionei as perguntas e respostas mais relevantes e que permeiam os pontos principais da entrevista. Vamos lá.


J.S: Você chegou a pensar em sair da operação durante a queda, antes de o mercado atingir o limite de baixa?


M.M: Senti que deveria sair, mas fiquei apenas assistindo. Estava totalmente paralisado. Eu tinha esperança que o mercado fosse virar. Fiquei acompanhando de perto e, então, quando atingiu o limite de baixa, não podia mais sair. Tinha à minha frente toda a noite para pensar sobre o assunto, mas realmente não havia escolha. O dinheiro havia acabado e era preciso sair. Na manhã seguinte, na abertura, liquidei toda a minha posição.


J.S: Quanto você perdeu na operação após liquidá-la?


M.M: Eu tinha perdido meus próprios 30 mil dólares, mais 12 mil dos 20 mil que minha mãe havia me emprestado. Esta foi minha lição sobre apostar todo meu dinheiro.


EU: isso foi um exemplo das primeiras operações dele. Depois um trecho sobre o primeiro mentor.


M.M : Ed me forneceu um excelente modelo a ser seguido. Por exemplo: uma vez, ele estava vendido na prata e o mercado simplesmente manteve-se caindo, meio centava num dia, um centavo no outro. Todas as outras pessoas pareciam estar altistas, faland que a prata tinha que subir porque estava tão barata, mas Ed simplesmente continuava vendido. Ele disse: "A tendência é de baixa e eu vou continuar vendido até que ela mude". Eu aprendi a ter paciência com ele, na maneira como ele seguia a tendência".


EU: ele demorou a aprender e começar a implementar, segundo explica no livro, mas começa a pegar a ideia, sem o devido gerenciamento de risco, como dá pra perceber nessa parte.


M.M: Sim, De qualquer forma, nada aconteceu. Creio que naquele dia o mercado fechou, em algum lugar, acima de US$ 110. No dia seguinte, ele abriu a cerca de US$ 110,80. Eu usei o seguinte argumento: se hoje eles deixaram negociar acima de US$ 110 (havia um controle de preços do governo Nixon), isto significa que pode ser negociado em qualquer lugar. Assim sendo, comprei um contrato. Bem, finalmente, a madeira aglomerada chegou a US$ 200. Depois que comprei aquele primeiro contrato e os preços subiram, era apenas uma questão de ir adicionando (piramidando) e mantendo a posição.


Imagina se você tivesse aproveitado essa tendência de alta de MGLU, claramente vista no gráfico semanal.

J.S: O que a madeira compensada estava fazendo durante esse tempo?


Não fazia nada. Apenas assistia a madeira aglomerada ia de US$ 110 a US$ 200. Como ambas eram produtos da madeira, e a madeira compensada também estava com pequena oferta, raciocinei que então poderia subir - e ela deveria ter feito isso. Entretanto, depois de eu ter comprado madeira compensada por cerca de US$ 130, o governo finalmento acordou para o que tinha acontecido com a madeira aglomerada e eles estavam determinados a não deixar que o mesmo acontecesse na madeira compensada...


J.S: O mercado estava a US$ 130 dólares quando você comprou. Onde estava neste momento?


M.M: Cerca de US$ 117.


J.S: Assim sendo, embora a magnitude deste declínio fosse muito menor do que a alta do preço na madeira aglomerada, você perdeu quase todo o seu dinheiro porque tinha uma posição muito maior em madeira compensada do que teve em madeira aglomerada.


M.M: Correto. Durante aquelas duas semanas, estava constantemente na beira de ser eliminado. Foram as duas piores semanas em toda a minha vida. Eu ia para o escritório a cada dia quase pronto para desistir.


J.S: Você disse para si mesmo: "Não posso acreditar que eu tenha feito isso novamente"?


M.M: Sim, e nunca mais fiz aquilo de novo. Esta foi a última vez que apostei tudo em uma operação.


EU: essa é uma das primeiras lições que todo trader deve aprender, controle de risco é absolutamente fundamental. A seguir um das melhores frases da entrevista.


M.M: Penso que o segredo está reduzir o número de operações que você faz. As melhores operações são aquelas em que você tem todas estas três coisas a seu favor: fundamentos, técnica e tom do mercado. Primeiro, os fundamentos devem sugerir que existe um desequilíbrio entre oferta e procura, que pode resultar num grande movimento. Segundo, o gráfico deve mostrar que o mercado está se movendo na direção que os fundamentos sugerem. Terceiro, quando as notícias chegam, o mercado deve agir de uma maneira que reflita o tom psicológico certo. Por exemplo, um mercado forte deve desprezar as notícias baixistas, e responder vigorosamente às notícias altistas. Se você puder restringir sua atividade somente a estes tipos de operações, você lucrará, em qualquer mercado, sob quaisquer circunstâncias.


A bolsa teve anos terríveis entre 2012 e 2015, mas você não vê isso no gráfico de Equatorial, você só vê a tendência de alta.

EU: essa ideia é muito poderosa, na minha humilde opinião. Outra parte legal é essa aqui do que ele fazia com o dinheiro.


J.S: Você investiu alguma parte do dinheiro que você estava ganhando nas suas operações, ou continuou reinvestindo em sua própria conta?


Fiz inúmeros maus investimentos e perdi uma boa parcela do dinheiro que tinha conseguido com as minhas operações. Quando estava operando em grande escala, queria ter razão para continuar, portanto, simplesmente, gastava dinheiro selvagemente. Naquela época, possuía cerca de dez casas e terminei perdendo dinheiro em todas elas. Algumas, vendi antes de ter passado uma noite sequer nas mesmas. Eu tinha um serviço de frete de avião e perdi uma porção de dinheiro naquilo. A certa altura, constatei que, de cada dólar que eu ganhava com as operações, 30 por cento ia para o governo, 30 por cento para manter meus aviões, e 20 por cento, para manter meus imóveis. Assim sendo, finalmente decidi vender tudo.


EU: logo depois conselhos para novos traders, ou perdedores.


J.S: Tendo percorrido todas as situações do que é operar os mercados, desde o fracasso até o extremo sucesso, que conselho básico você daria a um trader iniciante, ou a um trader perdedor?


M.M: é que sempre aposte menos de 5% de seu dinheiro numa única operação. Desta forma, você poderá errar mais de 20 vezes; levará um longo tempo para perder seu dinheiro. Eu enfatizaria que os 5% se aplicam a uma única operação. Se você fizer uma compra em dois mercados de grãos diferentes, mas relacionados (tipo soja e farelo de soja), ainda assim é uma operação. A próxima coisa que aconselharia é que sempre use estopes. Isto significa dizer realmente colocá-los, porque eles te obrigam a liquidar num ponto pré-determinado.


M.M: Outra coisa é que, se não se sentir confortável com uma posição, logo após tê-la assumido, não fique perturbado em mudar de ideia e sair fora... enquanto está dentro, não pode pensar. Quando sai, pode então pensar claramente de novo.


M.M: Talvez a regra mais importante seja manter suas operações vencedoras e interromper suas operações perdedoras. Ambos são igualmente importantes. Se você não ficar com as vencedoras, não será capaz de pagar as perdedoras.


M.M: Você deverá absolutamente fazer a sua aposta quando um mercado agir contrariamente a tudo mais. Quando as notícias são maravilhosas, e um mercado não consegue subir, então você deve vender com certeza.


J.S: Quando você entra numa sequência negativa de operações, como você lida com ela?


M.M: No passado, às vezes, tentei lutar contra, operando ainda mais pesado após começar a perder, mas isto normalmente não funciona. Então, comecei a cortar as perdas muito rápido até estopar completamente, se chegasse a ponto de ficar tão ruim. Mas geralmente nunca fica tão feio assim.


J.S: Quais são os fundamentos que você procura em uma ação?


M.M: Combino o lucro por ação com o meu próprio sentimento sobre seu potencial de crescimento no mercado. Se a empresa já tiver saturado seu pequeno nicho de mercado mundial, um lucro alto por ação não é tão importante. Entretanto, na avaliação de situações como esta, onde o LPA está crescendo e há, portanto, ainda, espaço para crescimento naquele mercado, a situação então se torna muito mais atrativa. Também gosto de olhar para a relação preço/lucro (P/L) conjugada com o LPA.



Michael Marcus


Óbvio que a entrevista no livro é muito maior e tem muitas outras ideias, recomendo a leitura.


Muito obrigado por ler meu texto e boa sorte!




26 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com