Buscar
  • fredericopereira191

O fenômeno fintechs


As fintechs estão se multiplicando em todos os lugares!

Essa semana li um relatório da Eleven Financial, uma research brasileira, de autoria da analista Tatiana Brandt, muito interessante, cujo o título é "Non bank is the new bank". Peguei algumas imagens do relatório para por aqui e recomendo que você entre no site deles e veja seus vídeos no YouTube, conteúdo muito bom!


Os números já podem estar bastante desatualizados, porque a velocidade do fenômeno fintech é alta, mas dá pra ter uma boa ideia do que está acontecendo, então resolvi postar aqui uma resenha com foco nas imagens e comentário pessoais, porque acredito que o assunto é de interesse geral, esse negócio já está mudando a vida de muita gente e ainda promete muito para o futuro.


Tudo começa com um gráfico mostrando o universo onde acontece esse fenômeno.


O universo financeiro no Brasil

Perceba que o fenômeno não se trata apenas dos bancos digitais, envolve as "big techs" internacionais, bancos estrangeiros, fintechs de crédito e de gestão financeira, várias iniciativas que tentam resolver um problema do público, lucrar no processo e virar uma plataforma ainda maior.


Esse fenômeno intrinsecamente ligado ao chamado "mobile banking", usar banco no celular, na população.


Brasil tem uma penetração de mobile banking alta, mesmo com 30% da população desbancarizada.

As leis se ajustaram para a "vida" no smartphone, o que impulsionou o crescimento das empresas que oferecem soluções através dos aparelhos.


Obviamente, as instituições tradicionais não vão ficar assistindo esse processo, muito pelo contrário, elas já estão participando.


Bancos tradicionais e suas iniciativas digitais

Isso impulsiona ainda mais esse processo, pois quanto mais dinheiro entra financiando o ecossistema, mais gente trabalha para criar ferramentas! Tudo isso já começa a mudar o sistema bancário.


O número de agências já cai rapidamente e isso deve continuar, à medida que os bancos vão descartando profissionais de agências e contratando especialistas em tecnologia, num processo em que o esforço dos bancos está migrando para o digital.


Aqui cabe uma observação interessante para investidores, parece que o grande ganho pros bancos é a redução dos custos com agências e funcionários, mas boa parte desses custos migram para funcionários que tem salário muito maior, engenheiros por exemplo, e para infraestrutura tecnológica, o verdadeiro ganho nesse fenômeno está no crescimento do relacionamento com o cliente e nas informações que estes geram ao acessar o app do banco.


Veja que as interações online crescem constantemente

Naturalmente, o número de contas digitais também.

Nesse fenômeno, as figuras de destaque são as fintechs que oferecem soluções como bancos digitais, sendo as principais até agora as seguintes.


Os maiores em número de contas abertas

Mas o fenômeno não se restringe a eles, o crescimento das fintechs é vertiginoso.


E ainda deve subir muito mais.

Todo esse crescimento das fintechs, principalmente o surgimento dos bancos digitais nos fazem sonhar com a possibilidade da diminuição da concentração bancária no Brasil, que está demonstrada na imagem abaixo.


Percaba que a concentração se mantém firme.

Mas pode ser ingenuidade pensar que essas fintechs vão destruir os grandes bancos ou tomar muito mercado, tanto porque elas focam na população desbancarizada, quanto porque os bancos podem comprá-las ou copiar as ferramentas.


Importante notar que nesse mercado não basta oferecer alguns serviços, tem que ter capital para conseguir montar uma estrutura muito grande, que seja capaz de financiar tanto os serviços financeiros, como de englobar outros serviços.


Por isso entende-se que o fenômeno vai além das novas empresas, deve passar pelas "bjg techs", empresas com capital abundante que já nasceram no universo tecnológico e hoje são as maiores empresas do mundo.


Gigantes de tecnologia com iniciativas de fintechs

As asiáticas dessa lista já estão mais avançadas nesse processo, elas começaram em outros ramos, mas já oferecem soluções financeiras e pode-se dizer que "fizeram" esse fenômeno fintech em seus países de origem.


Evolução da Tencent para grande fintech na China

Então nós podemos esperar no médio prazo o crescimento significativo de oferta de serviços financeiros por diferentes empresas, tanto grandes quanto pequenas, a forma como nós usamos esses serviços só começou a mudar.


A Apple e a Amazon já iniciaram esse processo, os grandes bancos já começaram a comprar fintechs (Itaú comprou 49% da XP, por exemplo), grandes redes varejistas, como Riachuelo e Via Varejo, já anunciaram iniciativas de banco digital, entre outras iniciativas.


Por fim, partindo para a prática, seja qual for o serviço financeiro que você precise, procure os preços dessas empresas que foram mencionadas nesse texto, pode valer muito a pena. Eu mesmo já uso Banco Inter e gosto muito!


Era isso, muito obrigado por ler e boa sorte!


51 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
 

FRED FIGUEIREDO

São Luís, Brasil

  • Instagram
  • YouTube
  • Facebook

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com