Buscar
  • fredericopereira191

O verdadeiro desafio ao investir dinheiro


Grandes investidores em valor, algumas das lendas do mercado.

O verdadeiro desafio ao investir é ter a mentalidade correta, é ter uma perspectiva de longo prazo que contemple o que realmente importa. É isso que esses caras da imagem tiveram e o que nós vamos entender nesse texto.


Para entender, enfrentar e ter sucesso ao investir dinheiro, é preciso diferenciar dois tipos de comportamento, o de investir e o de especular; depois diferenciar a visão de longo prazo, da via positiva, para a via negativa.


Antes de começar, escrevi um livro para investidores iniciantes, que já contempla esses desafios, clique na imagem abaixo para comprar pra você ou amigos.



Investimento x Especulação


É muito importante saber a diferença, porque é muito tênue, todos os valores mobiliários podem servir tanto para investimento, quanto para especulação; além disso, todos os nossos instintos naturais nos levam a querer especular e, ainda pior, tendemos a achar que isso é investimento. Então vamos começar com as definições.


Investimento é o que nos gera dinheiro ao longo do tempo, ou seja, são ativos que compramos sabendo que há uma expectativa alta de que produzirão fluxo de caixa ao longo do tempo. Levamos em consideração os fundamentos dos ativos, que precisam ser de qualidade, e procuramos comprá-los por preços baixos, obtendo alguma margem de segurança.


Especulação é o que nós compramos com a esperança de vender por um preço mais alto, no que consiste a nossa única possibilidade de fazer dinheiro. Nesse caso nossas expectativas estão fundamentadas apenas na oferta e demanda pelos ativos, o que está a mercê dos sentimentos e percepções dos diversos participantes do negócio, não da realidade dos negócios.


Obviamente, o melhor a fazer é investimento. Mas daí temos outra questão.


Pense no longo prazo, mas pense do jeito certo


Quando nós pensamos no futuro, por instinto ou por influência, ou pelos dois, não dá pra afirmar ainda, tendemos a tentar imaginar o que surgirá no futuro, tentamos prever o que irá surgir, o que irá mudar, essa forma de pensar é chamada de "via positiva".


Ao investir, a pessoa que tenta pensar no longo prazo pela via positiva tende a cometer erros e assumir riscos sem nem perceber. É o tipo de pessoa que compra ações de uma empresa que lançará um produto, que dominará um mercado, enfim, que sempre está acompanhando a nova tendência do momento, ou a nova mania.


Você pode perceber isso nos preços, sempre que algum setor está passando por um processo de inovação, ou algo parecido, os preços das ações das empresas desse setor tendem a ser negociados a preços cada vez mais altos, mesmo que seja fato conhecido que só uma ou duas empresas vão sair vencedoras e que, mesmo assim, às vezes o preço não se justifica.


Os grandes investidores de sucesso, caras como aqueles da imagem que abriu esse texto, não cometeram esse erro, pois eles pensam de maneira diferente, em vez de tentar antecipar o que de novo nós veremos em 10 anos, eles tentam entender o que ainda existirá em 10 anos que já existe hoje, ou seja, o que NÃO vai mudar, a isso chamamos de "via negativa".


Ou seja, o investidor (ou empreendedor, vide Bezos) de sucesso é o cara que consegue entender o que não vai mudar nos próximos 10 a 20 anos, e, obviamente, comprar ativos que gerarão fluxo de caixa interessante nesse período, além de comprá-los a preços que ofereçam alguma margem de segurança.


Vamos terminar pensando isso pros dias atuais, que é o que realmente importa.


A partir daqui, dê o mesmo valor que esse cara aí (Taleb) dá para previsões, mesmo respeitando a ideia dele de via negativa.

Vamos brincar de profeta


Antes de qualquer mal entendido, nada do que você lerá daqui pra frente é recomendação de investimento, apenas um exercício de imaginação daquele que vos escreve.


1 - Eu olho pros múltiplos de preço das ações na bolsa e vejo várias empresas de energia e de dados sendo negociadas a preços baixos, parece que o mercado não vê valor nas empresas, parece que elas não tem perspectivas de longo prazo.


Mas em casa, meus filhos não ficam sem o celular ou o PC, preciso cuidar pra que eles não passem muito tempo "na tela", daí lembro, o que é absolutamente fundamental para usar celulares e afins? Dados, sem internet nada disso faz sentido. O que mais? Energia, tem que carregar as baterias.


As ações estão baratas e seus produtos ainda vão ser demandados por décadas, já sabe o que eu penso neh? Isso mesmo.


2 - Outras ações que negociam a preços baixos atualmente são as relacionadas ao setor automobilístico, como MYPK3, SHUL4 e FRAS3. Parece que a nova moda do mercado é achar que o carro elétrico vem aí e, em poucos anos, as pessoas não andaram mais de carro, ou não terão, sei lá, pra mim, não faz muito sentido.


Por um lado, já deve ser fato conhecido que no Brasil nós não temos matriz energética para ter uma quantidade muito grande de carro elétrico, afinal de contas, nós não temos energia nem pra aguentar o consumo se o PIB começar a crescer 3% por muitos anos. Como investimento em projetos de energia leva algum tempo, dá pra colocar pelo menos uma década (sendo bem pessimista) de carro a combustão sendo maioria.


Por outro, apesar de muita gente rica em grandes centros urbanos estarem optando por não ter carro, a verdade é que no mundo real, fora da bolha em que esse povo vive, muita gente quer carro, muita gente odeia andar de ônibus, e, talvez mais importante, os apps de compartilhamento estão bombando, muita gente que antes ficava em casa, está saindo porque agora tem uma alternativa de locomoção nos carros que estão rodando por causa dos apps.


Ou seja, esse desconto nas ações do setor só fazem sentido no caso da economia está sem perspectiva de melhora, o que não é o caso, ou se nós tivéssemos matriz energética (talvez nem EUA tenha ainda) ou se houvesse um excesso de carro nos apps de transporte, o que também não é o caso. Nem preciso dizer o que penso dessas ações.


3 - Vamos mudar de assunto, das ações baratas para as que podem estar caras; atualmente, toda e qualquer ação que tiver uma pegada de "fintech" está negociando a múltiplos para lá de altos, não falo só dos que se declaram bancos digitais, qualquer empresa que declare uma estratégia para participar do setor financeiro com alguma inovação tecnológica, está merecendo essa avaliação acima do comum.


Óbvio que todo esse movimento não é sem motivo, na China e na Índia o uso de fintechs já está bem avançado, o BC está numa "cruzada" para aumentar a competição e novas tecnologias estão surgindo para mudar o setor; mas esse não tem espaço para todo mundo lavar a burra de ganhar dinheiro nesse negócio, ou vamos ter vários players com margens de lucros baixas, quiçá no prejuízo, ou teremos um ou poucos vencedores que consolidarão o setor.


Ou seja, por um lado você pode ter ações de uma empresa que vai sobreviver aos próximos 10 anos, mas com margens de lucro baixas, o que não é interessante; ou você está fazendo uma aposta com baixa probabilidade de dar certo, pra ver se consegue acertar o vencedor dessa disputa, o que não dá pra chamar de investimento, apenas de especulação.


O verdadeiro desafio ao investir


Enfim:


- pense no longo prazo;

- reflita sobre o que ainda vai dar bons lucros em 10 anos;

- faça investimentos;

- repita isso ao longo da vida.


Muito obrigado por ler meu texto e boa sorte!



17 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com