Buscar
  • fredericopereira191

Os 9 principais fatos da semana no mercado financeiro



O objetivo dos posts de segunda-feira é expor uma reflexão sobre o que está acontecendo de mais importante no mercado financeiro e, com isso, ficar por dentro do que é relevante, estando pronto para aproveitar eventuais oportunidades.


Os 9 fatos estão espalhados na semana anterior e na que está começando!


Os 6 principais fatos da semana que passou


1 - O Congresso avançou mais uma semana


A despeito da cobertura negativa sobre problemas na articulação do governo e má vontade do chamado "Centrão", os congressistas avançaram em pontos durante a semana em alguns pontos importantes:


- PL do saneamento básico, depois de caducar a MP;

- aprovação da MP871, sobre fraudes no INSS, potencial enorme de economia;

- agendada data para apresentação do relatório da comissão especial da RP;


Por que isso é importante?


Para o investidor é muito bom ver o parlamento avançar nas agendas que são necessárias para tirar o país da crise, tanto na redução de gastos, como no estímulo de investimentos privados, que são as questões mais importantes no momento.


Para o especulador é interessante observar como o mercado não consegue cair, mesmo depois de forte alta na semana anterior, isso tem uma forte correlação com o fato do mercado estar vendo o Congresso ir na direção correta.


2 - O STF liberou a venda de subsidiárias das estatais sem aprovação do Congresso


Em apenas dois dias de julgamento, por 6 a 3, os ministros do Supremo liberaram a venda de subsidiárias das estatais, um movimento fundamental para o programa de desestatização da economia brasileira.


A aprovação liberou a venda TAG (gás), que estava suspensa, permitindo que a Petrobras receba os US$ 8,6 bilhões que foram ofertados pela vencedora do leilão, a Engie.


Por que isso é importante?


Para os investidores que tem ou pretendem ter ações de Petrobras é uma excelente notícia, pois, com a liberação, a empresa poderá vender negócios nos quais entrou por interesses escusos e, dessa forma, focar na sua atividade principal, aumentando o potencial de geração de lucros.


A notícia também é positiva para todos os investidores no mercado de ações, pois dá melhores perspectivas para o programa de desestatização do governo e promove a atração de investimentos, o que deve gerar melhora na economia.


Para os especuladores reforça o ponto anterior, essas notícias positivas mantém o Ibovespa em alta, enquanto juros e dólar caem.


3 - Dados ruins nas principais economias do mundo


Tivemos muitos dados ruins na China, na Europa e nos EUA, o que aumentou a pressão para que os bancos centrais reduzam juros e tentem estimular a economia.


A China lançou estímulos, a Austrália e o Chile reduziram juros, o FED sinalizou possibilidade de corte nos juros e o BCE também se mostrou pronto a estimular. Isso jogou os juros futuros pra baixo no mundo inteiro.


Por que isso é importante?


Para o investidor, a questão mais preocupante agora é entender quão ruim será para o mercado nacional se ocorrer uma piora significativa na economia internacional. Um eventual crash lá fora seria muito ruim para os mercados aqui, enquanto um desaceleração gradual, seria muito vantajoso para que a economia se recuperasse.


Para o especulador, as últimas duas semanas foram "divergentes", na última o mercado lá fora subiu forte e aqui o Ibovespa ficou de lado, enquanto na penúltima o mercado lá fora caiu muito, enquanto o Ibovespa subiu forte. Isso cria um cenário de incerteza interessante e do qual não podemos tirar conclusões no momento.


4 - Trump avança sobre o México e consegue novo acordo comercial


A semana começou com Trump anunciando mais tarifas para o México, colocando pressão para que eles combatessem a imigração e o narcotráfico. Teve muita discussão sobre o risco desse movimento para o comercio global, assim como em toda vez que ele empreende nova rodada de negociação de acordos.


Terminou com o México barrando as caravanas de imigrantes que tentam entrar nos EUA e o anúncio de um novo acordo comercial entre os dois países.


Por que isso é importante?


Já está virando rotina, Trump anuncia tarifas, começa choradeira do risco ao comércio global, o mercado cai, a pressão aumenta, sai um acordo, o mercado sobe. É importante que o investidor não mexa na sua alocação por causa dessas notícias.


Para o especulador essas ocasiões podem ser uma oportunidade. Apesar da gritaria contra o protecionismo dos ianques, não tem como negar que a economia deles é muito maior que as demais e nenhum país pode se dar ao luxo de não sentar para conversar com eles. É por isso que apostar que os acordos vão continuar acontecendo, parece ser uma boa ideia.


5 - Holandeses desistem da Braskem e grupo Odebrecht à beira da recuperação judicial


Depois de vários meses de negociações, os holandeses da Lyondell desisitiram da compra da petroquímica Braskem. A desistência foi motivada porque outra empresa do grupo Odebrecht entrou em recuperação judicial e as ações do grupo na Braskem estão envolvidas.


A ação da empresa caiu 20% na bolsa de valores, o que parece que já fez os holandeses reverem a decisão. O grupo Odebrecht se complica ainda mais e está à beira da recuperação judicial, o que deve envolver muitos bancos, boatos indicam que só o Banco do Brasil tem uma exposição de 9 bilhões.


Por que isso é importante?

Para os investidores pode ser uma oportunidade de comprar ações da Braskem, uma petroquímica que domina o mercado na América Latina, tem uma gestão muito respeitada e com isso passa a negociar a múltiplos interessantes.

Para os especuladores foi uma oportunidade de compra no dia da queda. Agora parece que o pior já passou.


6 – Aumenta pressão para que o BC reduza os juros


Durante a semana tivemos mais revisão de baixa nas projeções para o PIB de 2019 e mais dados de inflação abaixo da meta do governo. Tudo isso fez com que o mercado apostasse em redução da Selic para os próximos meses.


Os juros futuros caíram ainda mais e a pressão sobre o BC subiu durante a semana enquanto empresários, imprensa, economistas e parte do mercado financeiro começam a fazer zuada por estímulos que ajudem a recuperação da economia.


Por que isso é importante?


No meio de um ajuste fiscal é impossível ver aceleração da economia, parece que pessoal quer que o BC e o governo operem um milagre.


Para os investidores é importante ficar atento ao comportamento do BC, pois por enquanto ele mantém uma posição conservadora que me parece adequada, evitando dar estímulos sem uma contrapartida necessária no âmbito fiscal, que é a reforma da Previdência. Se eles abandonarem essa posição, é bom reavaliar a posição de renda fixa.


Para os especuladores, eventual mudança na postura do BC, algo inesperado por quem acompanha a política economia desse governo, pode gerar algum movimento, mas o que realmente pode gerar oportunidade é o mercado tentar antecipar essa mudança e ela não se concretizar.


Os 3 principais fatos para a nova semana!


Minha expectativa é por uma continuação da semana que passou, com avanços nas reformas e mais pressão por redução de juros aqui e lá fora. Vamos aos possíveis fatos importantes.


Ontem a noite já tínhamos muita atividade nos jornais e redes sociais, com o presidente avisando da urgência da aprovação de crédito suplementar para pagar as contas e sites de esquerda tentando emplacar nova tentativa de "melar" a reforma da previdência ou, pelo menos, "fritar" o ministro da Justiça e um colega procurador que concorre por uma vaga de PGR.


1 – Relatório da Reforma da Previdência na quinta-feira e governadores na terça.


No quarto pregão da semana devemos ter forte expectativa pela apresentação do relatório da comissão especial da Reforma da Previdência, dois dias depois do evento de governadores em Brasília que deve gerar muita notícia sobre a reforma.


Os investidores devem torcer por uma apresentação positiva, já os especuladores devem procurar oportunidades de compra, principalmente se o clima positivo continuar predominando à medida que mais governadores aderem à aprovação da reforma.


2 – G20 dos principais ministros de economia e banqueiros centrais


Esse fim de semana tivemos reunião dos ministros e banqueiros centrais das 20 maiores economias do mundo, devemos ter alguma repercussão em entrevistas sobre a questão dos juros e sobre a “trade war”, muitos deles devem falar sobre os riscos ao comércio global.


Isso não faz muita diferença para os investidores, mas especuladores devem ficar atentos para algum anúncio importante, principalmente dos EUA e da China.


3 – Teste dos 100 mil pontos


Por fim, o clima positivo sobre a reforma da previdência deve levar o Ibovespa a testar novamente os 100 mil pontos, o que deve gerar volatilidade para os especuladores.


Nas últimas duas semanas o Ibovespa testou os 98 mil pontos diversas vezes, principalmente com boas notícias vindas da comissão especial. Então, dependendo de como vier o relatório, devemos ver o teste dos 100 mil pontos.


As notícias sobre o vazamento de conversa do ministro e do procurador, junto com a pressão do governo pelo crédito suplementar, podem atrapalhar esse cenário em vários momentos, mas acredito que isso não será suficiente para acabar com o otimismo, deve é gerar oportunidade de compra para especuladores.



É isso. Obrigado por ler, um abraço, boa sorte e até a semana que vem!

20 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com