Buscar
  • fredericopereira191

Rei Salomão e a importância da diligência em nossos investimentos


Como podemos aproveitar os Provérbios nos nossos investimentos

Muito já se escreveu sobre educação financeira, uma rápida pesquisa no Google é suficiente para encontrar uma imensidão de conteúdo a respeito disso.


Mas os primeiros ensinamentos dessa sabedoria estão no livro mais famoso que existe, a Bíblia. Para ser mais específico, nos ensinamentos do Rei Salomão, de Israel.


Segundo a história, Salomão foi o rei mais sábio que existiu e ele amealhou riqueza incomparável por conta disto, mas também a perdeu quando deixou de seguir seus próprios conselhos.


Os ensinamentos de Salomão foram inspiração para muitas pessoas bem sucedidas nos últimos 2.500 anos e são considerados uma fonte excelente de educação pessoal e financeira.


Neste texto destaco as vantagens de ser diligente, segundo os ensinamentos de Salomão, que acreditava que a diligência era característica fundamental para quem quer ter sucesso. Com foco nos nossos investimentos.


Urge ressaltar que o conceito de diligência atual difere do conceito de Salomão:


Dicionário: “interesse ou cuidado na execução de uma tarefa, ou zelo; urgência ou presteza em fazer alguma coisa”.


Você perceberá ao longo do texto que Salomão entendia a diligência com a capacidade de agir corretamente e se manter atuante e perseverante em sua atividade e seus propósitos por tempo suficiente e com energia adequada.


1 - A garantia de que você estará em vantagem


Segundo Salomão a diligência implica em uma vantagem para quem a tem, ele afirma:


“Os planos do diligente levam à vantagem certa. Porém, aos afoitos, resta a garantia da pobreza”. (Provérbios 21:5)


Primeiro ele afirma a vantagem certa do diligente, depois chama de afoitos aqueles que não são diligentes, destacando a desvantagem de não ser diligente.


Note que afoito é alguém que quer que as coisas aconteçam muito rápido, quem tem pressa, ansiedade. Para Salomão, então, ser diligente é ter paciência em obter os resultados dos esforços empreendidos.


Perceba, não é só uma questão de trabalhar constantemente para alcançar seu propósito, não é só agir de maneira correta, também é ter paciência.


Isso vale para investimentos também, geralmente quem quer ter resultados muito rapidamente perde dinheiro, tanto por não continuar investindo ao longo dos anos, quanto por assumir muito risco em busca de resultados rápidos.


2 – Você terá controle sobre a situação, em vez de ser controlado por ela.


Salomão, quase 3.000 anos atrás já observava os problemas de ser financeiramente dependente, o problema das dívidas, ele afirma:


“O diligente será soberano, enquanto os negligentes se tornarão escravos... A mão do diligente dominará, e a mão preguiçosa será escrava”. (Provérbios 12:24)


Perceba que essa condição de liberdade está ligada tanto ao sucesso proporcionado pelo sucesso do trabalho bem feito, quanto pela situação financeira que pode ser conquistada.


Uma pessoa diligente no trabalho, qualquer que seja ele, tem mais autonomia, mesmo tendo um chefe, pois ela é admirada e respeitada, suas decisões e opiniões tem importância.


Na parte financeira a autonomia, ou liberdade, pode ser ainda maior. Uma pessoa diligente se organiza financeiramente para acumular dinheiro, o que lhe confere muita liberdade para tomar decisões.


É exatamente o contrário de quem não é diligente financeiramente, que estará sempre dependente do salário, da renda mensal, para pagar as contas e, na maiorias das vezes, as dívidas.


Essas pessoas não tem liberdade pra decidir o que querem fazer, tem que correr atrás do dinheiro.


Perceba que mesmo um dono de uma empresa pode ser um escravo do dinheiro, se a empresa for endividada, ele dependerá de novos clientes e da concorrência.


Pense em investimentos, se você tem um valor investido que representa 1 ano de seus gastos anuais, você tem pouca liberdade; mas se você tem 10 vezes seus gastos anuais investidos, você tem alguma liberdade.


3 – Você experimentará uma satisfação genuína


Salomão também já via e antecipava o que hoje chamamos de “consumismo”, essa necessidade que as pessoas tem de comprar coisas para se satisfazer, ele afirma:


“A alma dos diligentes é saciada... a alma do preguiçoso anseia sem nada conseguir”. (Provérbios 13:4)


É interessante averiguar de onde vem essa satisfação do diligente e o ansiedade do preguiçoso, pode vir tanto do sucesso conquistado, quanto da percepção de vida difere os dois tipos.


O diligente não precisa atingir o sucesso almejado para se sentir “saciado”, à medida que ele se concentra em seu propósito e ocupa sua mente as atividades que precisa empreender, ele deixa de ser atraído por outras ideias, tem menos tempo ocioso.


Enquanto isso, o preguiçoso tem muito tempo livre, que pode ser gasto com coisas inúteis, e não tem um objetivo claro, o que lhe mantém “navegando” sem rumo, como disse Montaigne cerca 500 anos atrás: “A alma que não tem objetivo estabelecido se perde”.


Perceba que o processo já leva a um resultado que consolida as diferenças, enquanto o diligente conquistará seus objetivos, o que lhe permitirá se sentir realizado; o preguiçoso não conquistará nada e continuará embebecido pela ansiedade.


Vale o mesmo para nossos investimentos, se nós temos objetivos e somos diligentes, nossas gastos inúteis diminuem, não temos espaços para eles, pois estamos investindo dinheiro para alcançar nossos objetivos.


Se não somos diligentes acontece o contrário, investimos pouco e temos espaço para todos os tipos de gastos que nos empurram. Os resultados, obviamente, serão muito diferentes.


Enquanto os diligentes acumularão dinheiro suficiente para se sentirem satisfeitos e livres, os preguiçosos nunca terão dinheiro para se sentirem livres e satisfeitos, sempre estarão preocupados em conseguir mais dinheiro.


4 – Seus esforços serão recompensados, você terá cada vez mais sucesso


É um tanto óbvio, desde aquela época, quem é diligente terá sucesso, mas é bom ler as palavras dele:


“O homem que lavra a terra sacia-se de pão, mas o que segue os levianos sacia-se da pobreza”. (Provérbios 28:19)


A diferença entre os resultados é clara, mesmo as palavras sendo simples. Tem mais:


“Fortuna apressada diminui, quem ajunta pouco a pouco enriquece... A riqueza de procedência vã diminuirá, mas aquele cuja riqueza vem do trabalho a verá crescer”. Provérbios (13:11)


Essa vai muito de encontro à questão dos investimentos, as pessoas costumam correr atrás de dicas rápidas para ganhar muito dinheiro em pouco tempo, quando deviam fazer exatamente o contrário.


Essa é a que mais mexe comigo, eu já perdi muito tempo e dinheiro tentando acelerar as coisas, em vez de focar em ser diligente, dar um passo de cada vez e acumular consistentemente.


Só mais uma pra finalizar esse ponto:


“Toda fadiga é lucrativa, mas limitar-se a palavras leva apenas à pobreza”. (Provérbios 14:23)


Conclusão


Ler os Provérbios me fez um bem muito grande, minha intenção com esse e outros textos sobre isso é um esforço para ajudar as pessoas a enriquecerem.


Gostaria de ressaltar que esses ensinamentos valem tanto para nossa vida profissional, quanto valem para nossos investimentos, ou melhor, para nossa acumulação, nosso enriquecimento.


Não adianta nada sermos bem sucedido profissionalmente e gastarmos todo o dinheiro que ganhamos, sendo diligente no trabalho, mas sendo preguiçoso em casa, continuaríamos escravos.


Seja diligente em tudo o que você fizer, esse é um exercício que precisa ser constante.


Por fim, aproveitando a oportunidade, te ofereço meu livro para que você comece a fazer investimentos da maneira certa, clique na imagem abaixo.





Obrigado por ler meu texto, um abraço e boa sorte!

19 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com