Buscar
  • fredericopereira191

Lion Finanças Semanal - 26 a 31 maio 2019


Resumo das semanas: Pedro Parente anuncia fusão dias antes de deixar cargo de CEO da BRF e muito mais!

Esse é um texto semanal para resumir o que se passou na semana anterior e falar sobre o que está agendado para a próxima semana.


É tanto um exercício de reflexão para as minhas operações, como um informativo útil para investidores e especuladores que, inteligentemente, se mantém informados.


Divido assim:


- resumo da semana que passou;

- agenda da próxima semana;

- destaques a serem acompanhados.


Coloco links para todos os comentários, a fim de prover ainda mais informação nos tópicos que mais você se interessar. Aproveite!


Antes de começar, com a sua licença, escrevi um livro para dar à qualquer pessoa uma "visão macro" do mercado financeiro, para saber como funciona, quem são os principais players, os títulos e, principalmente, como se aproveitar de tudo isso. Clique na imagem abaixo para conhecer:



Resumo da semana que passou (26 a 31 de junho de 2019)


A semana começou com um protesto pró-governo e, principalmente, pró-Reforma da Previdência. Além disso, as expectativas quanto à possibilidade de mais um desastre em minas da Vale.


Na segunda o otimismo prevaleceu depois dos protestos, o que era de se esperar, pois milhares de pessoas na rua pedindo por austeridade, por reformas, é novidade mundialmente.


Quem comprou IND na segunda se deu bem!


Na terça foi o mesmo movimento dos preços, bom para quem comprou, principalmente depois das entrevistas que os líderes dos 3 poderes concederam após o café da manhã em que conversaram sobre um pacto pelas reformas.


Veja o que eles falaram clicando aqui!


Na quarta eu já achava que o otimismo estava exagerado, afinal de contas a reforma tem que avançar mesmo é no Congresso e de lá pouca coisa era anunciada, a não ser atrasos e prenúncios de que a MP 868, do saneamento, ia ter problemas.


O que acabou se confirmando, a despeito do fato de que mais da metade dos brasileiros não tem acesso a saneamento básico, a MP não passou e o governo precisará procurar por alternativas.


Se quiser saber mais sobre a MP 868, clique aqui! Tem um link do Plansab (Plano Nacional de Saneamento Básico) nesse texto, vale a pena para quem tem interesse no assunto.


Fiquei esperando pela venda, mas ela veio tarde e eu prefiri ficar de fora.


Ministro precisou anunciar "dinheiro" para acalmar a gritaria dos pessimistas de plantão!

A quinta também foi morna no mercado, apesar das quedas em NY, talvez pela expectativa de que isso gere redução das taxas de juros lá, o que beneficia emergentes, como o Brasil. Na verdade, esse raciocínio pode ajudar a explicar a semana de quedas lá, acompanhada da semana de altas aqui.


Durante o dia, os indicadores de PIB e confiança nos EUA e do PIB aqui ficaram em linhas com as expectativas. Mas aqui foi feito aquele alarde dos pessimistas de plantão, parece que as pessoas querem que seja feito um ajuste fiscal que não tenha efeitos na economia, como se nós não estivéssemos em um país onde a participação do governo na atividade econômica é gigantesca.


Mesmo assim o mercado chegou a subir e eu fiquei esperando o ponto de venda, mas não veio, ficou de lado até o fim do dia.


No final do dia o ministro Guedes acenou dinheiro de PIS e FGTS para aquecer a economia depois da reforma da previdência. E, depois do pregão, a BRF e a Marfrig anunciaram uma fusão, para dizer o mínimo, controversa. A operação parece ser muito boa para a primeira e não tão boa para a segunda.


Para ler sobre o anuncio do ministro, clique aqui! Já para ler sobre a fusão dos frigoríficos, clique aqui!


Na sexta o dia começou agitado com Trump anunciando tarifas de 5% sobre produtos do México, ampliando seu combate ao narcotráfico e à imigração ilegal. Isso serviu também para alimentar mais quedas nas bolsas americanas e mais expectativas para redução da taxas de juros, mais altas para as bolsa dos emergentes.


Eu não compro na sexta, a não ser que tenha forte notícia positiva; mas podia ter ganhado dinheiro se tivesse confiado na ideia de que venda em NY era compra aqui, como foi durante o resto da semana. No fim, a venda da sexta a tarde deu certo e melhorou um pouco os resultados.


A semana terminou e as minas da Vale não viram o desastre se realizar, a empresa afirmou que alguns pedaços cederam, mas nada de ruim aconteceu.


Para um último resumo da situação, clique aqui!


Agenda da próxima semana



STF pode atrapalhar a Petrobras e decidir se o IND vai nos 100 mil ou não!

O foco continuará sendo a reforma da previdência no Congresso, importante se atentar para as falas do relator e do presidente da Comissão Especial, além de Maia, Guedes e afins.


Esse fim de semana tivemos um bom exemplo do que pode vir a ser uma excelente notícia, que é a aprovação antes do que o mercado espera, para saber mais, clique aqui!


Importante também será a decisão do STF sobre a venda da TAG, qualquer coisa que não seja a aprovação, deve dar venda no IND.


Para entender melhor essa questão, clique aqui!


Segunda


Já começa com PMI Industrial na China, ainda hoje a noite (domingo para nós). Número esperado a 50, interessante observar, principalmente depois de dados muito ruins dos países vizinhos. Mercado não deve gostar se vier muito abaixo, sinalizando problemas para emergentes.


Tem também PMI de Alemanha e Inglaterra, ainda na madrugada, e dos EUA, às 11:00 horas. Números ruins para eles podem significar expectativa de redução de juros, o que gera a possibilidade de acontecer a mesma dinâmica da semana que passou, com a bolsa subindo aqui.


Eu vou querer comprar nesse cenário, mas só depois das 11:00 horas.


Terça


Tem inflação da Zona do Euro bem cedo e discurso de Powell (presidente do FED) às 10:45 da manhã. O que implica que, provavelmente, vai valer a pena esperar ele falar antes de tentar negociar. A não ser que haja alguma notícia muito relevante por aqui.


Quarta


Tem dados de emprego nos EUA às 09:15, PMI Não manufatura e Estoques de Petróleo às 11:00. O que implica na mesma dinâmica do dia anterior.


Quinta


O Banco Central Europeu se pronuncia antes do pregão começar, vou acompanhar algum anúncio sobre juros que possam ser um bom sinal por aqui. No resto do dia já estaremos ou sabendo ou na expectativa pela decisão sobre a TAG.


Sexta


Tem payroll e taxa de desemprego dos EUA às 9:30 e nada pelo resto do dia, o que deve implicar num dia em que o mercado se decidi muito cedo. Se não houver nenhuma novidade durante a semana, esses indicadores devem dar o tom pelo menos pela manhã.



Destaques a serem acompanhados


1 - A semana começa quente com a votação ou não da MP 871 no Senado, o risco da falta de quórum ou de perda do governo, com a não aprovação de uma MP que pode gerar R$ 10 bilhões com o combate a fraudes no INSS, pode pesar nos mercados.


Para saber mais, clique aqui!


2 - Continuando no Congresso, essa semana deve repercutir o resultado das discussões que Maia criou para discutir o pacote anti-crime de Moro, qualquer sinal de desidratação vai ser noticiado, em alto e bom som, como uma derrota do governo. Por mais incrível que pareça, não duvida que isso pese nos mercados, pessoa corre ao menor sinal de perigo.


Para saber mais, clique aqui!


3 - Tanto a Marfrig, quanto a BRF, podem publicar alguma novidade sobre a fusão, agora que o mercado já "digeriu" a divulgação, possíveis mudanças ou avanços nas negociações podem movimentar as ações.


Para mais um link sobre a fusão, clique aqui!


4 - As ações do Banco Pan, BPAN4, bombaram essa semana, à medida que o mercado começou a precificar a ação como concorrente do Banco Inter, ou novo concorrente para os grandes bancos, por mais que isso pareça ser bastante otimista. Se isso se confirmar, o preço da ação ainda tem muito a subir, tanto que o movimento se intensificou depois que a Bogari divulgou relatório que fala desse setor.


Para acessar o relatório, clique aqui!


5 - Presidente do BC, Roberto Campos Neto, anunciou na semana passada que nesta iria fazer anúncios de mudanças no mercado financeiro, essa agenda de aperfeiçoamentos pode gerar otimismo no mercado, demonstrando que o governo não está dependente apenas da reforma da previdência.


6 - Enquanto escrevo, futuros em NY abrem em gap de baixa e operando na mínima, esse movimento continuando, já abrimos a semana com a pressão aumentando para que o FED baixe os juros.


7 - Via Varejo faz sua tão esperada Assembléia Extraordinária logo na segunda feira, mercado aguarda mudanças para a conclusão de uma negociação que mude o controlador e a administração do grupo, que vem sendo avaliado a preços muito baixos depois de tanto tempo esperando por um turnaround.



É isso. Obrigado por ler, um abraço, boa sorte e até a semana que vem!

12 visualizações
 

©2018 by Fred Pereira. Proudly created with Wix.com